Ouça agora na Rádio

N Notícia

AFP / NORBERTO DUARTE

FOTO: AFP / NORBERTO DUARTE

Atlético sofre segunda maior goleada em sua história na Libertadores

Galo perdeu por 4 a 1 no Paraguai e está em situação complicada

Informações compartilhadas Superesportes
 
Foram quatro gols em 13 minutos. Desta forma, o Atlético sofreu a segunda maior goleada de sua história na Copa Libertadores. O Galo perdeu para o Cerro Porteño por 4 a 1 em La Nueva Olla Azulgrana, em Assunção, no Paraguai, e agora vive situação delicada no Grupo E da competição continental.
 
A maior goleada sofrida pelo Galo segue pertencendo ao Bolívar, da Bolívia. Na Libertadores de 2000, o Atlético perdeu por 4 a 0 no estádio Hernando Silles. Na ocasião, o zagueiro Cláudio Caçapa foi expulso e o goleiro Velloso ainda defendeu um pênalti.
 
O Atlético até saiu na frente em Assunção com gol de Ricardo Oliveira. Mas o Cerro conseguiu uma virada relâmpago. Aos 31', Acosta cobrou falta por baixo da barreira e enganou Victor, que não conseguiu alcançar a bola. Aos 34', foi a vez de Carrizo, após bela jogada de pivô, bater de chapa, colocado, no canto esquerdo do goleiro atleticano. Apenas dois minutos depois, Cáceres apareceu na área e encheu o pé: 3 a 1.
 
Aos 43', surgiram os primeiros gritos de "olé" de parte das arquibancadas. Segundos depois, o goleiro Victor saiu mal do gol para tentar antecipar Joaquín Larrivey. O atacante, entretanto, ganhou a jogada - sem falta, no entendimento da arbitragem -, e só empurrou para o fundo das redes: 4 a 1.
 
Com a vitória, o líder Cerro Porteño chega aos 12 pontos e garante vaga nas oitavas de final da Libertadores. Já o Atlético segue na terceira colocação, com três pontos - seis a menos que o segundo colocado Nacional-URU, que derrotou o Zamora-VEN nesta quarta. Lanterna da chave, os venezuelanos ainda não pontuaram.
FONTE: Redação /Superesportes
Link Notícia