Ouça agora na Rádio

N Notícia

Cientistas costa-riquenhos descobriram uma espécie extremamente rara de rãs

FOTO: © East News/ Hendy MP

Cientistas costa-riquenhos descobriram uma espécie extremamente rara de rãs

Um grupo de cientistas da Costa Rica descobriu no Parque Nacional de Agua uma espécie de rã que estava considerada como desaparecida desde 2004. Este descobrimento restitui a esperança para a reconstituição da espécie.

Oficialmente esta espécie de rã se chama Craugastor escocês, mas os cientistas que descobriram a rã em questão chamaram-lhe Tomate por causa da cor vermelha da sua pele. A rã foi descoberta em 2016, mas isso foi revelado só nesta semana. Esta notícia agitou a comunidade cientifica e o público, porque desde 1986 não tinham sido encontrados nenhuns espécimes. As informações são da SPUTNIK NEWS.

Alvarado e seu colega Randall Jiménez andavam pelo parque buscando uma espécie de rã com olhos verdes (vibicaria), que também foi considerada desaparecida, mas foi reconstituída com os esforços dos cientistas. Eles se dirigiram para os desfiladeiros do parque e então Jiménez viu os olhos de uma rã que se escondeu debaixo de uma pedra.

Eles repararam na cor vermelha da pele da rã e trouxeram-na para o seu colega Federico Bolaños, que confirmou as suspeitas deles de que se tratava de uma fêmea de Craugastor escocês. Agora a Tomate vive no laboratório.

 Os cientistas dizem que "não foram os extraterrestres que a levaram para lá" e creem que no parque "por certo há mais espécies". A Universidade da Costa Rica esperou pelo Dia Mundial do Ambiente para tornar pública esta descoberta.

 
FONTE: SPUTNIK NEWS
Link Notícia